Agro-Indústria

A agricultura, pecuária, pesca e indústria alimentar produzem e transformam alimentos para as pessoas (food), alimentos para os animais (feed) e fibras (fiber) para têxteis.

A transformação de produtos alimentares visa satisfazer as necessidades alimentares das populações, aumentar a duração dos alimentos   e responder aos gostos e hábitos alimentares dos mercados para que se destinam.

A indústria alimentar utiliza processos de fabrico físicos, químicos e biológicos  para obter alimentos para consumo humano ou animal.

Devido à perecibilidade das matérias-primas usadas e dos produtos finais, a indústria alimentar é obrigada a planificar previamente a armazenagem das matérias-primas, cada fase de fabrico, a armazenagem dos produtos acabados, as condições de transporte até ao destino (quer seja o local de comercialização ou outra indústria), as condições de armazenagem no local de comercialização e as condições exigidas ao cliente final para que este possa usar o produto alimentar em bom estado dentro do prazo de validade mencionado. Em todas estas fases é também obrigatório, em face do produto em causa, definir o controlo ambiental de forma a maximizar a validade do produto.

Por isso também a definição da embalagem em que se vai apresentar o produto é essencial conforme o mercado de destino que se pretende trabalhar.

O fabrico de alimentos para animais é também na UE sujeito a elevado controlo uma vez que mais tarde podem integrar a cadeia alimentar humana e também para não serem fonte de contaminações no meio em que são utilizados.

O sucesso do desenvolvimento de um projeto de indústria alimentar passa pelas seguintes fases:

Conhecimento do Mercado de destino – Planificação rigorosa – Conhecimento das matérias primas – Conhecimento de processo

O rigor depositado em cada fase de um projeto agroindustrial, o cumprimento do enquadramento legislativo e o equilíbrio do investimento para obter as produções esperadas assim como os rendimentos económicos previstos, farão a sustentabilidade da indústria a desenvolver, quando o mercado existe e há meios para o lá colocar.

A transformação de produtos alimentares é uma atividade extremamente regulada por questões de segurança alimentar dentro da UE, estando alguns produtos obrigados a manifestos de produção.

A tipologia do licenciamento industrial obrigatório varia conforme a potência instalada e as condicionantes do local onde se vai localizar, mas também em função da origem de produto que se vai transformar.

Por sua vez há produtos que pela sua origem e composição são obrigados a controlo permanente e /ou a serem identificados com um número de controlo pela entidade que regula a atividade.

De acordo com o tipo de processamento, os produtos fabricados pela indústria alimentar são geralmente classificados da seguinte maneira:

1ª gama – Alimento fresco “in natura”

2ª gama – Enlatado

3º gama – Congelado

4ª gama – Alimento minimamente processado

Outros – p.e. Alimentos desidratados

A CONSAGRA tem vários anos de experiência na elaboração de:

  • Plantas de lay-out de fabrico
  • Projetos de arquitetura e de engenharia industrial
  • Licenciamento industrial
  • Elaboração de candidaturas de apoio ao investimento
  • Elaboração de projetos de internacionalização
  • Elaboração de estudos de mercado

Fruto de uma história feita em caminhos paralelos que várias vezes se cruzaram em processos sinergéticos a CONSAGRA acolheu nos seus escritórios a CONSULNOR, com quem parceira a atividade de arquitetura e engenharia industrial.

Consulte-nos! Marque uma reunião gratuita!  info@consagra.pt